sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Mercado regulado dos grandes consumidores de electricidade até final de 2013


O Governo adiou por um ano (até final de 2013) o prazo para os grandes consumidores de electricidade deixarem o mercado regulado e transitarem para o liberalizado. Em declarações à Lusa, o secretário de Estado da Energia, Artur Trindade, explicou que a intenção é «manter alguma flexibilidade para que o processo de liberalização corra bem, com o mínimo de disrupções possíveis».

O governante adiantou também que o regulador pode determinar a cessação do prazo, por segmentos, assim que o número total de clientes finais de electricidade fornecidos em regime de mercado livre atinja a percentagem de 90 por cento.

Esta é a segunda vez que o calendário para os grandes clientes deixarem definitivamente as tarifas reguladas é alterado, uma vez que o prazo chegou a ser 31 de Dezembro de 2011.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

ANFAJE cria Gabinete de Apoio à apresentação de candidaturas ao FEE


O Fundo de Eficiência Energética (FEE) disponibiliza, até 1 de Junho de 2013, um milhão de euros para substituição de janelas antigas por janelas eficientes; uma aposta que visa reduzir o consumo energético das habitações.

No âmbito do Aviso 03 do FEE, a ANFAJE criou um Gabinete de Apoio que pretende promover e assegurar a apresentação de candidaturas ao FEE e através do qual as empresas poderão contar com o apoio técnico e com a informação e orientação necessárias com vista ao sucesso das suas candidaturas.

No caso de ser necessário o esclarecimento de dúvidas às empresas durante a elaboração e preparação das candidaturas até à sua respetiva aprovação, estas devem ser enviadas para janelaseficientes@anfaje.pt ou via telefone 21 445 70 70.

Todas as informações sobre o FEE devem ser consultadas em http://fee.adene.pt

Fonte: ANFAJE

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Boas Festas 2012


Central de biogás da Tratolixo suspensa por falta de financiamento


O financiamento da central de produção de biogás da empresa intermunicipal Tratolixo foi suspenso devido à “incapacidade de negociar com as entidades bancárias”, revelou à Lusa o presidente do Conselho de Administração, Domingos Saraiva.

“Poderá estar em causa a qualidade do serviço público”, alertou o administrador da empresa, detida por uma associação formada pelas autarquias de Cascais, Sintra, Oeiras e Mafra. A suspensão do financiamento do projecto pode levar a “interromper o tratamento de resíduos” e a “encontrar uma solução muito mais onerosa”, justificou o responsável. 

De acordo com Domingos Saraiva, há mais de um ano que se arrastam as dificuldades em assegurar, junto da banca, verbas para concluir a central de digestão anaeróbia da Abrunheira, Mafra. Esta segunda unidade da Tratolixo, para além de  processar cerca de 500 mil toneladas de resíduos por ano, produz electricidade e emprega cerca de 300 pessoas.

Fonte: Ecosfera

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Carvão vai ser tão usado como o petróleo em 2017

De acordo com um relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), o consumo de carvão, que cresceu 4,3% entre 2010 e 2011, continuará a subir a um ritmo de 2,6% ao ano até 2017. O aumento virá sobretudo dos países em desenvolvimento – especialmente da China e da Índia. E mesmo que se preveja uma queda nos países em desenvolvimento, o saldo positivo porá o carvão lado a lado com o petróleo como fonte energética de eleição.


Foto: JIANAN YU/REUTERS

O cenário de médio prazo da AIE para o carvão traça um mercado em profunda mudança. Os Estados Unidos precisam cada vez menos de carvão, devido à exploração crescente de gás de xisto – uma forma não-convencional de gás natural, que está a revolucionar o panorama energético norte-americano. Enquanto o gás substitui o carvão nos EUA, na Europa a tendência está a ser contrária – com a importação dos excedentes norte-americanos a preços que caíram cerca de 35% entre 2011 e 2012.

Ainda assim, o aumento do consumo previsto na Europa é pequeno – 0,4% por ano até 2017 – e nos países da OCDE em geral, o que se antecipa é uma queda de 0,7% por ano.

Fonte: Ecosfera

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Universidade de Coimbra instala 600 painéis fotovoltaicos


São 600 os painéis fotovoltaicos, divididos pelos Edifício Central (200) e Departamento de Engenharia Mecânica (400) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), que já estão a produzir energia eléctrica verde. Em parceria com a empresa Ecowatt, a FCTUC espera produzir, anualmente, 260 MWh de energia, o que significa a redução de 115 toneladas de CO2 de emissões para a atmosfera.

Os 200 painéis fotovoltaicos instalados no edifício central da FCTUC asseguram uma potência de 52 kW e uma produção estimada anual de 82 MWh, evitando a emissão de 36 toneladas de CO2 para a atmosfera. No edifício do Departamento de Engenharia Mecânica, os 400 painéis fotovoltaicos garantem uma potência de 100 kW e uma produção prevista de 178 MWh, o que permitirá reduzir em 79 toneladas a emissão de CO2 para a atmosfera.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Fundo JESSICA vai apoiar reabilitação energética em edifícios


Projectos de eficiência energética em edifícios vão poder ser financiados pelo Fundo Jessica, desde que integrados em operações sustentáveis de desenvolvimento urbano. O anúncio foi feito na semana passada, dia 28, durante uma sessão de balanço do primeiro ano do Jessica Holding Fund.

Desta forma, os 130 milhões actualmente disponíveis no Fundo vão passar também a visar projectos de reabilitação energética. Segundo o Fundo JESSICA, as candidaturas estão abertas "desde já" junto dos Fundos de Desenvolvimento Urbano (FDU) que foram criados para gerir as verbas nas diversas regiões - BPI, Caixa Geral de Depósitos (CGD), Turismo de Portugal e Instituto de Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU).

O "Joint European Support for Sustainable Investment in City Areas - JESSICA" é uma iniciativa, lançada em 2006 pela Comissão Europeia, que permite que os Estados-Membros utilizem as verbas atribuídas no âmbito dos Fundos Estruturais (FEDER) para a criação de Fundos de Desenvolvimento Urbano (FDU). Estes devem destinar-se a apoiar operações sustentáveis de reabilitação urbana, inseridas no contexto de programas integrados de desenvolvimento urbano, e neles podem participar organismos públicos nacionais, mas também instituições privadas, em regime de parceria, explica o sítio na Internet do Portal da Habitação. A Iniciativa JESSICA conta com o apoio do Banco Europeu de Investimento, para consultadoria técnica e mediação na concessão de empréstimos aos projectos, e com o apoio do Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa.

Fonte: Climatização

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Notícias soltas #26

Consumo de energia renovável bate recorde em Novembro O mês de Novembro registou o valor mais alto do ano em termos de consumo de energia de origem renovável, de acordo com os dados divulgados no site da REN - Redes Energéticas Nacionais. Na totalidade, a energia renovável registou um valor de 56% de consumo em Novembro, o que representa o consumo mais elevado de sempre no ano presente. Segundo a agência Lusa, as centrais eólicas contribuíram fortemente para este resultado perfazendo quase 30% do consumo do mês transacto.

Entre Janeiro e Novembro, o consumo de energia foi maioritariamente feito a partir da produção de carvão (25%), gás natural (21%) e energia eólica (20%). Quanto ao consumo de energia hídrica representou 10% do consumo, a biomassa contribuiu com 5% e a fotovoltaica apenas 1%.

Uso de biomassa sólida cresce em Portugal A produção de energia primária a partir de biomassa sólida caiu 2,9 por cento na Europa, entre 2010 e 2011, para 78,8 Mtep. Já a produção de electricidade a partir de biomassa sólida no espaço europeu foi de 72,8 Twh, uma queda de 2,4 Mtep. Os números são avançados pelos Eurobarómetro, que mostra também que Portugal tem vindo a contrariar esta tendência europeia, com uma evolução de 2,582 Mtep em 2010 para 2,617 Mtep de produção de energia primária em 2011.


Fundo de Investimento da CGD aposta em energia solar A Ikaros-Hemera terminou a implementação de três sistemas solares fotovoltaicos, um no condomínio da Quinta da Fonte e dois no condomínio do Central Park. Ligados às áreas comuns destes edifícios, os sistemas irão permitir que as respectivas administrações dos condomínios não despendam de outras verbas com a factura de energia das áreas comuns.

O investimento do fundo imobiliário da CGD irá permitir uma produção anual de cerca de 300 MWh, o que corresponde à energia necessária para abastecer 75 habitações. Os projectos têm-se desenvolvido na área da Grande Lisboa, e a taxa de retorno estimada para o investimento efectuado ronda os 15,5 por cento, sendo o período médio de retorno do investimento de seis anos e meio.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Aviso Edifício Eficiente FEE - Perguntas e Respostas


No âmbito da publicação de novos avisos do Fundo de Eficiência Energética (FEE), foi também publicado um documento de perguntas e respostas frequentes de forma a facilitar a sua implementação.

O que é o FEE – Fundo de Eficiência Energética?

O Fundo de Eficiência Energética (FEE) é um instrumento financeiro que foi criado pelo Decreto-Lei n.º 50/2010, de 20 de Maio, tendo como objectivos: financiar os programas e medidas previstas no Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética (PNAEE), incentivar a eficiência energética por parte dos cidadãos e das empresas, apoiar projectos de eficiência energética e promover a alteração de comportamentos nesta matéria.

Este Fundo, através de Avisos específicos, apoia projectos de eficiência energética em áreas como os transportes, os edifícios, a prestação de serviços, a indústria e os serviços públicos, que contribuam para a redução do consumo final de energia, de forma eficiente e optimizada.

Mais aqui.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Notícias soltas #25


Torneira ecológica lusa poupa água do autoclismo A empresa portuguesa OLI desenvolveu uma torneira de bóia que permite poupar água dos autoclismos cerâmicos. O objectivo é "ajudar os portugueses a reduzir a factura  ao final do mês, num momento em que a necessidade de economizar é cada vez maior.

De acordo com os fabricantes, a torneira Azor Plus poupa "até nove litros de água por dia, o que equivale a uma redução de água em 2%". Esta poupança é possível graças ao sistema retardador de entrada de água no reservatório do autoclismo, que impede o desperdício durante o processo de descarga.

Maior central solar do mundo iluminará 72 mil casas A partir de 2013, a maior central solar do mundo vai iluminar cerca de 72 mil residências no Arizona, EUA. A temperatura média de 25ºC e o "sol escaldante" do estado norte-americano tornaram-no o local ideal para a construção da estrutura, que vai dar emprego permanente a 85 pessoas.

A nova estrutura, baptizada Solana, funciona como qualquer outra central termoeléctrica do mundo, com a diferença de que é "projectada para o armazenamento térmico", explica Emiliano García, diretor-geral do projecto, citado pela agência EFE. Portanto, a fábrica "é capaz de continuar a produzir eletricidade até seis horas depois do pôr do sol graças a um sistema idêntico ao dos termos "que mantêm o café quente".

Todo o fluido quente que sobrar da produção da electricidade ao longo do dia será transportado para tanques próprios para o efeito, onde será armazenado a 400ºC e voltará a transformar-se em "combustível solar" quando escurecer.

Índia: Portugueses ajudam a criar cidade ecológica O projecto da Bhartiya City, que ambiciona criar na Índia uma cidade sustentável de raiz com 50 hectares, está a contar com a colaboração do escritório português da multinacional de arquitectura Broadway Malyan.

Esta cidade, que irá nascer no norte de Bangalore, é um projeto da empresa especialista em imobiliário Bhartiya Urban e constitui-se como o maior plano urbanístico da área metropolitana da Índia, prevendo-se que vá “oferecer uma mistura de habitação, hotelaria, comércio e usos de uma área económica especial”. 

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Fórum "Que Política Energética para Portugal?"


Decorrerá amanhã o Fórum "Que Política Energética para Portugal?" que a AMES organiza em parceria com a Câmara Municipal de Sintra (CMS) e com o apoio da Ploran, pelas 14h15, na sala da Nau do Palácio Valenças, em Sintra.

No início do evento será apresentada a "Agenda para o Consumo Sustentável" desenvolvida pela AMES e pelo Serviço Municipal de Informação ao Consumidor (SMIC) da CMS.

O Fórum contará com a presença de Nicolau Santos (Jornal Expresso) como moderador do debate,  Pedro Cabral da DGEG, e representantes dos vários grupos parlamentares assim como da Siemens, Endesa, EDP, APREN e Quercus. 

Nota: número de lugares limitado; inscrições obrigatórias.

Aceda aqui ao programa e a forma de inscrição.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Adene quer contributos para eficiência energética dos edifícios


A Adene - Agência da Energia, tem em consulta pública o documento relativo ao Certificado Energético (CE) das habitações, emitido através do Sistema Nacional de Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior nos Edifícios (SCE). No seu site, a Adene sublinha que «é um documento útil com informação relevante sobre o desempenho energético do imóvel e de como podemos optimizar a eficiência energética em casa».

Com a alteração regulamentar em curso relativa à eficiência energética nos edifícios, surge agora a oportunidade de rever este documento de referência do SCE. Neste sentido, está disponível um questionário online até ao dia 10 de Dezembro. «O contributo dos cidadãos é essencial no sentido de podermos continuar a promover a qualidade e melhoria dos certificados energéticos, contribuindo desta forma para uma maior eficiência energética dos edifícios em Portugal«, refere o organismo.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

​Fundo de Eficiência Energética abre três novos avisos nas áreas Residencial, Indústria e Estado


​Foram lançados a 22 de novembro de 2012 os últimos três avisos do FEE previstos para 2012, para apoio a 3 tipologias de operação:

Implementação em edifícios existentes (multifamiliares e unifamiliares) de soluções de eficiência energética, nomeadamente sistemas solares térmicos (ST) e/ou janelas eficientes (JE), suportadas por processos de avaliação da melhoria do desempenho energético (via Certificação Energética).

Entidades beneficiárias
Pessoas singulares proprietárias de edifícios de habitação ou frações autónomas em edifícios de habitação existentes.

Financiamento a operações na indústria visando a realização de auditorias energéticas e implementação de equipamentos de gestão de consumos.

Entidades beneficiárias
Todos os operadores de instalações abrangidas por um ARCE-Acordo de Racionalização dos Consumos de Energia no âmbito do SGCIE.

Execução dos estudos prévios, as análises técnicas e a criação de ferramentas e metodologias de análise conducentes à Certificação Energética e da Qualidade ao Ar Interior, dos edifícios e sistemas integrantes do Programa ECO.AP, ou no caso de esta não ser obrigatória, auditorias que possibilitem a identificação de baselines de consumos de energia para utilização no Programa ECO.AP.

Entidades beneficiárias
Administração central, nomeadamente os serviços e organismos da administração direta e indireta do Estado, empresas públicas, universidades, entidades públicas empresariais, fundações públicas, associações públicas ou privadas com capital maioritariamente público;
Administração local, nomeadamente autarquias e municípios.

As candidaturas estão abertas a partir do dia 30 de novembro de 2012, devendo para o efeito fazer-se o registo prévio online em http://fee.adene.pt.

Fonte: ADENE

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

No Dia da Floresta Autóctone Quercus lança Manifesto pelas Florestas


Comemorou-se no passado dia 23 de Novembro o Dia da Floresta Autóctone, data estabelecida para promover a importância da conservação das florestas naturais da Península Ibérica. A Quercus divulgou, nesse dia emblemático, o seu Manifesto pelas Florestas Autóctones, que pretende alertar para as ameaças que comprometem cada vez mais a conservação da nossa floresta autóctone.

As espécies que compõem os nossos ecossistemas florestais autóctones tais como os carvalhais, os azinhais e os sobreirais desenvolvidos, são espécies adaptadas aos nossos solos e clima, e que se apresentam como bastante resistentes e resilientes aos incêndios florestais. Em Portugal, a maior parte das florestas naturais desapareceu ou está já muito alterada, pelo que nunca é demais relembrar a importância destes bosques, em termos ecológicos, económicos e sociais.

Manifesto da Quercus pela Floresta

O “Manifesto da Quercus pela Floresta” surgiu da necessidade de ajudar na comunicação sobre a importância das nossas florestas naturais, alertando os decisores e esclarecendo o público interessado sobre a visão que a Quercus defende para uma floresta de futuro em território nacional. Este manifesto está disponível, na íntegra, na área de trabalho da floresta no site da Quercus, em www.quercus.pt

Fonte: Naturlink

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

EUA demonstram avanços na eficiência da utilização da energia


Em 2011 os EUA conseguiram reduzir o consumo de energia relativamente ao ano anterior através da utilização de tecnologia mais eficiente, energias renováveis e condições favoráveis.

A maioria da energia consumida nos EUA é para a produção de electricidade, seguindo-se o consumo nos transportes, na indústria, no sector comercial e residencial. No sector industrial verificou-se um pequeno aumento do consumo, mas que foi largamente compensado com a redução nos transportes e outros.

Fonte: Naturlink

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Fórum "Que Política Energética para Portugal?"


A AMES organiza, em parceria com a Câmara Municipal de Sintra (CMS) e com o apoio da Ploran, o Fórum "Que Política Energética para Portugal?" que se realiza no próximo dia 4 de Dezembro, pelas 14h15, na sala da Nau do Palácio Valenças, em Sintra.

Será também apresentada a "Agenda para o Consumo Sustentável" desenvolvida pela AMES e pelo Serviço Municipal de Informação ao Consumidor (SMIC) da CMS.

O Fórum contará com a presença de Nicolau Santos (Jornal Expresso) como moderador do debate,  Pedro Cabral da DGEG, e representantes dos vários grupos parlamentares assim como da Siemens, Endesa, EDP, APREN e Quercus. 

Nota: número de lugares limitado; inscrições obrigatórias.

Aceda aqui ao programa e a forma de inscrição.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Prémio EDP Inovação entregue a projecto de redução no consumo de energia

A empresa tecnológica ECO-eifes foi a grande vencedora do Prémio EDP Inovação, tendo apresentado a concurso o projeto EIFES que integra dois dispositivos inteligentes para a poupança energética no espaço doméstico. Da autoria de Carlos Baptista, Getúlio Igrejas, Maurício Diegues e Pedro Rodrigues (na foto), o projecto vencedor recebeu um prémio de 50 mil euros.

O projeto EIFES - Embedded Intelligent Framework to Energy Savers resulta da utilização de uma framework inteligente em dois dispositivos distintos: o dispositivo Water Heating Intelligent Control (WHIC) que permite implementar uma gestão dos termoacumuladores eléctricos orientada à minimização do consumo de energia, sem prejuízo dos padrões de conforto na sua utilização; e o Smart Standby Energy Saver (SSES) que permite monitorizar o consumo de energia eléctrica e detectar o estado de standby dos equipamentos electrónicos.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Portugal participa em megaprojecto europeu de promoção da energia fotovoltaica


Foi lançando o "PV GRID", um megaprojeto europeu para promover a integração em grande escala da energia fotovoltaica nas redes de distribuição de electricidade  em que Portugal participa através da Associação Portuguesa de Empresas do Sector Fotovoltaico (APESF).

projecto  que é coordenado pela German Solar Industry Association (BSW – Solar) e inclui 18 outros parceiros, tem como objectivo “contribuir para a superação de desafios regulatórios e normativos ligados à integração de uma maior quota de energia fotovoltaica no sistema de distribuição europeu”, é explicado em comunicado.

O "PV GRID" surge na sequência do projecto PV Legal, promovido pelo mesmo consórcio de 20 parceiros. Este projecto conseguiu solucionar vários problemas relacionados com a instalação de sistemas fotovoltaicos na Europa, e identificou a integração na rede dos sistemas fotovoltaicos como uma das maiores barreiras à continuação do desenvolvimento das tecnologias fotovoltaicas na Europa.

O novo projecto "PV GRID" é, à semelhança do "PV Legal", financiado pela programa da Comissão Europeia “Intelligent Energy for Europe” e terá a duração de dois anos, terminando em Outubro de 2014.

Fonte: Naturlink

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Projecto "Cloogy Kit Home" em Sintra


A Agência Municipal de Energia de Sintra desenvolve, em parceria com a ADENE – Agência para a Energia, o Projecto “Cloogy Kit Home”, na sequência do estabelecimento de Protocolo no passado dia 27 de Fevereiro. 

O Cloogy Home é um dispositivo que permite medir o consumo energético de uma habitação ou estabelecimento de forma centralizada ou a partir de tomadas individuais, sendo a informação recolhida num smartmeter instalado no quadro eléctrico, e disponibilizada aos utilizadores em tempo real através da internet e de aplicações móveis, para a respectiva monitorização. Este dispositivo fornecerá relatórios e de sugestões online / por email com o intuito de incutir alterações comportamentais para a poupança no consumo energético. 

Neste contexto, a AMES dispõe de 90 kits Cloogy Home para entregar a famílias residentes no município de Sintra, sem custos associados para as mesmas, com vista ao estabelecimento de um caso de estudo de diminuição na factura energética. 

As condições que serão necessárias para que possa beneficiar deste Projecto são:
Abastecimento eléctrico da habitação em baixa tensão, com potência até 13,8 kVA;
Quadro monofásico;
Ligação fixa à internet e um router wireless (o sistema Cloogy não suporta internet 3G por banda móvel) na residência; 

As colaborações que serão solicitadas às famílias são:
Disponibilizar o acesso dos técnicos do projecto ao contador inteligente;
Permitir a análise confidencial dos dados recolhidos para estabelecimento dos resultados do projecto;
Fornecer as facturas de consumo de electricidade da fracção em questão relativos aos 12 meses anteriores e posteriores à implementação do Cloogy;
Assegurar a permanência do contador inteligente, ligado ao contador eléctrico e em pleno funcionamento, durante pelo menos 1 ano a contar da data da instalação;
Colaboração com a equipa do projecto através do preenchimento de questionários de feedback e da execução de tarefas, de carácter voluntário, para a redução de consumos eléctricos e avaliação do projecto.

Se residir em Sintra, verificar as condições necessárias e tiver interesse em participar, inscreva-se através do email geral@ames.pt com a seguinte informação:
Nome
Freguesia de residência
Contacto (telef./telem.)
Tipo de residência (moradia/apartamento)
Tipologia de habitação (T1/T2…)
Potência contratada (menor que 13,8 kVA)

Acerca da AMES
Agência Municipal de Energia de Sintra é uma associação de direito privado sem fins lucrativos, que tem por objecto contribuir para a gestão da procura de energia, a eficiência energética, o melhor aproveitamento dos recursos endógenos e a gestão ambiental, no sentido de introduzir uma melhoria sistemática do desempenho energético-ambiental do concelho de Sintra.

Acerca da ADENE
A ADENE – Agência para a Energia tem por missão promover e realizar atividades de interesse público no domínio da política energética e dos serviços públicos concessionados ou licenciados no sector da energia. A ADENE desenvolve a sua atividade junto dos diferentes sectores económicos e dos consumidores, visando a racionalização dos comportamentos energéticos, a aplicação de novos métodos de gestão de energia e a utilização de novas tecnologias. www.adene.pt

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Pneus obrigados a etiqueta de eficiência


Desde o dia 1 deste mês que os novos pneus fabricados na União Europeia têm de conter uma etiqueta para cumprir a legislação materializada numa nova etiqueta de eficiência. Neste sistema, o consumidor poderá encontrar informação harmonizada sobre as características técnicas dos pneus, como o seu desempenho em termos de eficiência energética , aderência em piso molhado e o nível de ruído exterior.

A nova etiqueta europeia é aplicável a todos os pneus para veículos ligeiros de turismo (Classe C1), veículos comerciais ligeiros (Classe C2) e veículos comerciais pesados (Classe C3). As excepções serão os pneus recauchutados, pneus de competição, pneus sobressalentes, pneus cujo índice de velocidade é inferior a 80 km/h, pneus com pregos, pneus para utilização profissional fora de estrada, e pneus de veículos antigos.

O desempenho em termos de eficiência energética está classificado em sete classes, medidas em termos de resistência ao rolamento, de A (mais eficiente) a G (menos eficiente). A diferença de eficiência entre as classes A e G pode resultar numa poupança de combustível até 7,5 por cento, num conjunto completo de pneus, representando uma poupança de mais de 300 euros/ano, dependendo do veículo e das condições de condução, adianta a Quercus no seu sítio da internet.

A aderência em piso molhado está dividida em sete classes, de A (menor distância de travagem) a G (maior distância de travagem). A diferença entre as classes A e G de aderência em piso molhado pode equivaler a uma distância de travagem até 18 metros mais curta, para uma velocidade média de 80 km/h e um conjunto completo de pneus com as mesmas características.

Os níveis de ruído exterior estão divididos em três categorias e são medidos em decibéis (dB), numa escala gráfica que é comparada com os novos níveis de ruído exterior para pneus europeus a serem introduzidos até 2016. Uma onda de som destacada a preto indica um pneu menos ruidoso e 3 dB inferior ao futuro limite europeu do Regulamento (CE) 661/2009, enquanto três ondas de som destacadas a preto indica um pneu mais ruidoso e em conformidade com o atual limite europeu em vigor no Regulamento (CE) 2001/43. A seta preta indica o nível de ruído em valor absoluto.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Redução de 50% no consumo de energia eléctrica no Jardim 25 de Abril em Belas


A factura de energia representa uma fatia significativa dos custos de funcionamento de um município, realçando desde já o consumo com a Iluminação Pública. A Câmara Municipal de Sintra em colaboração com a Agência Municipal de Energia de Sintra, a EDP e a Indal, requalificou a iluminação pública do Jardim 25 de Abril em Belas.

No passado mês de Janeiro substituíram-se 25 luminárias neste jardim que até à data eram equipamentos ferromagnéticos com lâmpadas de vapor de sódio de alta pressão com potência de 100W, e que hoje são 25 luminárias equipadas com balastros electrónicos de alta frequência com redução de fluxo luminoso em horas de baixo movimento, com lâmpadas de vapor de sódio alta pressão com potência de 70W. O novo balastro permitiu a redução de fluxo e reduziu o consumo energético em 50%, o que representa cerca de  560,11 €/ano.

Podemos ainda realçar como pontos fortes deste projecto o aumento da vida útil das lâmpadas com consequente redução dos custos de manutenção e reposição de lâmpadas; a redução do número de falhas prematuras das lâmpadas; e os ganhos obtidos com a estabilização da tensão.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Novo gerador eólico e solar optimiza energia


O engenheiro português Pedro Ruão desenvolveu um gerador de energia inovador a nível mundial. Além de aliar a energia eólica à energia solar, o Omniflow tem uma turbina vertical que capta o vento de uma forma mais eficiente, o que resulta num alto rendimento em termos de produção de energia.


O primeiro protótipo criado é o OM 3.8 que, na sua componente técnica, conta com um rotor de 1.75 metros de diâmetro e uma potência nominal de 2kW e 3kW. A asa solar apresenta três metros de diâmetro, oferecendo mais 0.8kW de potência nominal. 

Este sistema pode-se instalar no telhado de edifícios ou condomínios, bem como no solo, apresentando uma elevada produção de energia graças ao seu funcionamento em espiral ascendente, que se assemelha ao de um furacão, podendo reduzir a factura da luz até 100% numa casa moderna.

“Por regra, os sistemas eólicos são instalados em localizações com velocidades médias de vento superiores a 5,5m/s e sem obstruções de grandes dimensões nas proximidades. Com estas condições, é possível reduzir a factura da luz a 100%, numa casa com um consumo anual na ordem dos 3500-4000 kW por hora”, explica Pedro Ruão.


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Notícias soltas #32

Alemanha produz mais energia solar que 20 centrais nucleares Entre o meio-dia dos passados dias 25 e 26 a produção de energia solar na Alemanha atingiu os 22 mil megawatts hora, um recorde mundial equivalente ao que produziriam 20 centrais nucleares em plena potência. 





Ondas de Peniche já produzem energia eléctrica O Waveroller já está a produzir energia eléctrica a partir das ondas. É uma máquina única a nível mundial e está no fundo do mar, a 900 metros da costa, perto do Baleal. O último relatório da sobre energias renováveis publicado há poucos dias pela Direcção Geral da Energia e Geologia (DGEG) não deixa margem para dúvidas. Portugal voltou a ter energia elétrica produzida a partir da força das ondas.



Alemanha vai ter edifício com energia vinda de algas A BIQ House encontra-se atualmente em construção e deverá estar pronta em Março de 2013. Hamburgo, na Alemanha, vai ter, já em 2013, o primeiro edifício cuja eletricidade será produzida a partir de algas. O projeto, desenvolvido pelo ateliê Splitterwerk Architects, é o primeiro deste género em todo o mundo e vai integrar a International Building Exhibition (IBA Hamburg), exposição internacional que decorrerá naquela cidade alemã.

Itália: Vendidas mais bicicletas que carros em 2011 Pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial, os italianos compraram, em 2011, mais bicicletas do que carros. A notícia é avançada pelo jornal La Repubblica, que escreve que, o ano passado, se venderam mais 2.000 bicicletas do que automóveis, considerando o facto "uma grande mudança". De acordo com informações do periódico italiano, em 2011, os cidadãos compraram 1,75 milhões de bicicletas, ao passo que a compra de carros caiu até aos níveis de 1964, ano em que a aquisição de automóveis tinha atingido um mínimo recorde.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Covilhã tem carregador solar de aparelhos electrónicos


Uma empresa de energias renováveis da Covilhã criou uma estação pública alimentada pelo Sol que vai permitir a todos os habitantes carregar telemóveis e outros aparelhos de dimensões reduzidas de forma gratuita, prática e ecológica.

A estação, criada pela Star Energy, tem o tamanho de uma pequena árvore e chama-se Inti, nome do deus do Sol na mitologia Inca, permitindo criar até 2.000 telemóveis por dia para períodos de carga de 15 minutos.                                                                                                                           Foto © Star Energy


A estação, cujas bateriais - que acumulam a energia captada pelo Sol - lhe permitem uma autonomia de dois dias, foi totalmente concebida e desenhada pela Star Energy, uma empresa fundada por jovens no Parkurbis - Parque de Ciência e Tecnologia da Covilhã. 

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Notícias soltas #31

Sector do gás natural já tem nova lei de bases A lei de bases para o sector do gás natural foi publicada no Diário da República de sexta-feira (DL 230/2012). O documento estabelece disposições destinadas a garantir a segurança do aprovisionamento de gás natural, nomeadamente através da promoção de investimentos em novas infraestruturas que a reforcem.

11 empresas portuguesas mostram soluções inovadoras de energia e tecnologia em Israel Introduzir e ajudar empresas portuguesas na procura de oportunidades de exportação nos sectores de energia e inovação no mercado israelita é o principal objectivo da missão empresarial que decorre naquele País até ao dia 1 de Novembro.

Foram recolhidos mais de 218 mil kg de pilhas e resíduos electrónicos a nível nacional na 4ª edição do projeto Geração Depositrão As 611 escolas de todo o país que participaram na 4ª edição do projeto Geração Depositrão promovido pela ERP (European Recycling Platform) – Associação Gestora de Resíduos, recolheram 218 mil kg de pilhas e resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE) entre Novembro do ano passado e Junho deste ano.

Suécia importa lixo para a produção de energia A Suécia começou a importar anualmente 800 mil toneladas de “lixo” de outros países europeus para alimentar a sua indústria de produção de energia a partir de resíduos por meio da incineração. Este sistema de valorização dos resíduos permite responder a 1/5 das necessidades do sistema de aquecimento de prédios de habitação e edifícios comerciais do país nórdico, para além de fornecer electricidade a 250 mil lares.

Parque eólico em alto mar que será o maior do mundo começou a produzir energia O "London Array", que será o maior parque eólico do mundo em alto mar quando a primeira fase de instalação - que incluirá 175 turbinas eólicas com uma potência global instalada de 630 MW -, estiver concluída no final do ano, produziu energia eléctrica pela primeira vez.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Redução de 50% no consumo de energia eléctrica no Jardim 25 de Abril em Belas

A factura de energia representa uma fatia significativa dos custos de funcionamento de um município, realçando desde já o consumo com a Iluminação Pública. A Câmara Municipal de Sintra em colaboração com a Agência Municipal de Energia de Sintra, a EDP e a Indal, requalificou a iluminação pública do Jardim 25 de Abril em Belas.

No passado mês de Janeiro substituíram-se 25 luminárias neste jardim que até à data eram equipamentos ferromagnéticos com lâmpadas de vapor de sódio de alta pressão com potência de 100W, e que hoje são 25 luminárias equipadas com balastros electrónicos de alta frequência com redução de fluxo luminoso em horas de baixo movimento, com lâmpadas de vapor de sódio de alta pressão com potência de 70W. O novo balastro permitiu a redução de fluxo e reduziu o consumo energético em 50%, o que representa cerca de 560,11 €/ano.

Podemos ainda realçar como pontos fortes deste projecto o aumento da vida útil das lâmpadas com consequente redução dos custos de manutenção e reposição de lâmpadas; a redução do número de falhas prematuras das lâmpadas; e os ganhos obtidos com a estabilização da tensão.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Notícias soltas #30

Governo lança incentivo de 900 milhões no âmbito do QREN Foram lançados novos avisos em todos os sistemas de incentivos do Quadro de Referência Estratégico Nacional, que perfazem mais de 900 milhões de euros. O Governo espera conseguir gerar um investimento direto empresarial de cerca de 1,9 mil milhões de euros.

EDP Starter dá força a projectos de energia A EDP Starter é a primeira incubadora nacional direccionada unicamente ao sector da energia. Criada em Julho último, num pequeno espaço nas suas instalações da EDP Inovação, a incubadora poderá vir a crescer para novas instalações caso a procura o justifique.  

Etiquetagem de janelas eficientes a funcionar em 2013 O sistema voluntário de marcação das janelas eficientes, que está a ser ultimado pela Agência para a Energia (Adene) e a ANFAJE – Associação Nacional dos Fabricantes de Janelas Eficientes, deverá entrar em vigor no início de 2013.

Esta medida vai permitir a comparação de produtos de acordo com o desempenho energético e com reflexo no consumo de energia, numa altura em que se calcula que três milhões de fogos em Portugal têm janelas de má qualidade.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Portugal continua no top 10 mundial da energia eólica

Dados agora revelados pela World Wind Energy Association indicam que no final do primeiro semestre de 2012 Portugal era o 10º país do mundo com mais capacidade eólica (4.398 megawatts) nma tabela liderada pela China, logo seguida pelos Estados Unidos. 



A capacidade eólica mundial atingiu 254.000 MW até o final de junho de 2012, dos quais 16.546 MW foram adicionados nos primeiros seis meses de 2012. Contudo, este aumento representa 10% a menos do que no mesmo período de 2011 - quando foram instalados 18.405 novos MW a nível mundial.






Portugal passou a integrar o grupo de países que investem na eólica offshore (em mar aberto). O projecto pioneiro da eólica flutuante - inovadora a nível mundial -, instalada pela EDP ao largo da Aguçadoura, na Póvoa de Varzim, já está a injectar energia na rede e, por isso, já conta para as estatísticas mundiais do sector.



Fonte: Expresso

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Eficiência energética no sector residencial vai valer mais de 64,5 mil milhões de euros/ano


A eficiência energética no sector residencial deverá assistir a um crescimento exponencial durante a próxima década, refere um estudo recente da Pike Research. Estima-se que este mercado cresça de um valor anual de 14 mil milhões de dólares (cerca de 10,76 mil milhões de euros*) em 2012 para quase 84 mil milhões (aproximadamente 64,59 mil milhões de euros) em 2020. Durante esse período de tempo, o estudo estima que deverão ser construídos mais 10,9 mil milhões de m2 de área residencial.

Este crescimento é uma consequência do aumento do consumo energético no sector residencial e dos seus custos, levando a um maior interesse pelas medidas de eficiência energética tanto para a nova construção, como na reabilitação do parque edificado existente.

Em termos globais, segundo dados da Agência Internacional de Energia, até 2050, o consumo energético nos edifícios vai aumentar de 31,982 Terawatt-hora (TWh) para 51,253 TWh em 2050, sendo que desses mais de metade têm origem no sector residencial.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Comissão Europeia publica novos estudos sobre gás de xisto

No passado dia 7 de Novembro, a Comissão Europeia publicou três novos estudos sobre combustíveis fósseis, particularmente o gás de xisto. Os estudos abordam os potenciais efeitos destes combustíveis nos mercados energéticos, o potencial impacto climático da produção de gás de xisto, e os potenciais riscos de saúde e ambientais associados ao seu desenvolvimento.

O estudo sobre os impactos nos mercados de energia demonstra que os desenvolvimentos recentes nos Estados Unidos levaram a um aumento na disponibilidade de Gás Natural Liquefeito a nível global, influenciando indirectamente os preços do gás na Europa: Unconventional Gas: Potential Energy Market Impacts in the European Union.

O estudo sobre os impactes climáticos demonstra que o gás de xisto produzido na UE provoca mais emissões de GEE que a produção europeia de gás natural convencional, mas - se bem gerido - menos que o gás importado de fora da UE, seja via pipeline ou GNL, devido aos impactos das emissões associadas a transporte de longa distância: Climate impact of potential shale gas production in the EU.

O estudo sobre impactos ambientais demonstra que a extracção de gás natural geralmente implica uma pegada ecológica maior que a associada ao gás convencional. São identificados riscos de contaminação de águas superficiais e profundas, emissões de partículas e de ruído, ocupação de solos, distúrbios na biodiversidade etc.: Support to the identification of potential risks for the environment and human health arising from hydrocarbons operations involving hydraulic fracturing in Europe

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Notícias soltas #29

DGEG prepara novo documento estratégico para a energia

A consulta pública ao documento «Linhas Estratégicas para a Revisão dos Planos Nacionais de Acção para as Energias Renováveis [PNAER] e Eficiência Energética [PNAEE]», que terminou no final de Junho de 2012 foi o ponto de partida para um novo documento estratégico para o sector da energia.


O documento apontará acções e medidas que façam sentido no âmbito de uma estratégia global para o sector energético e, simultaneamente tenham «racionalidade do ponto de vista técnico-económico», assegura a DGEG. A ideia é balancear a decisão entre investir na eficiência energética e/ou na promoção das energias renováveis de uma forma mais «clara e objectiva».

As famílias, que já optaram ou pretendam passar para o mercado liberalizado de electricidade, vão poder beneficiar de tarifas bi-horárias e tri-horárias, já a partir de 2013. O Governo prepara-se para publicar, dentro de dias, legislação que permite a modulação horária do consumo, cumprindo uma promessa há muito aguardada pelos comercializadores de electricidade como a EDP Comercial, Endesa ou Gas Natural Fenosa.


Segundo contas do Ministério da Economia, esta solução assegura uma redução de 4,5% da factura dos consumidores domésticos, desde que transfiram 15% do seu consumo actual para horas de vazio. Ou seja, permite anular o agravamento do preço da electricidade anunciado, esta segunda-feira, pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), defende a mesma fonte. A proposta do regulador, que será fixada a 15 de Dezembro, contempla um aumento de 2,8% para as tarifas transitórias, a vigorar entre 1 de Janeiro a 31 de Março de 2013.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Investimento em renováveis continua a crescer

Os investimentos em tecnologias de energia renovável continuaram a crescer em 2011, de acordo com o “Vital Signs”, relatório do Worldwatch Institute. De 2010 para 2011 o investimento cresceu 17%, totalizando 257 mil milhões de dólares (excluindo grandes hidroeléctricas e água quente solar).


Segundo o mesmo documento, o total de investimentos em energia renovável nos países industrializados em 2011 representaram 65% do investimento global no sector da energia, aumentando 21%, para 168 mil milhões de dólares. Em contraste, os 35% de novos investimentos em países em desenvolvimento aumentou 10%. Desta soma, China, Índia e Brasil foram responsáveis por 71 mil milhões em investimento total.

Um grande desenvolvimento foi verificado no domínio da energia solar - impulsionado por uma redução de 50% no preço da tecnologia - com 147,4 mil milhões de dólares investidos, em comparação com 83,8 mil milhões de dólares para projectos eólicos e 10,6 mil milhões de dólares para biomassa e resíduos. Esta não é a primeira vez que o solar ultrapassa a eólica, mas o que se nota é que o diferencial nunca foi tão elevado.

Os investimentos em projectos de pequena escala com capacidade de menos de 1 MW cresceu 25 por cento, para 75,8 mil milhões de dólares em 2011.

A China atraiu 52,2 mil milhões de dólares americanos em novos investimentos em 2011, representando a maior soma de qualquer país. O montante representou quase 60% do total de investimentos novos em países em desenvolvimento e mais de 20%  do total global.