sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Tarifas 2012 para Micro e Miniprodução

A Direcção-Geral de Energia e Geologia publicou a actualização das tarifas para a microprodução e a miniprodução, no âmbito do regime bonificado, para 2012.

Assim, a Microprodução passa a ter uma tarifa de 326 €/MWh no primeiro período de 8 anos e de 185 €/MWh no segundo (7 anos), enquanto a Miniprodução passou a ter a tarifa de 215 €/MWh, em 2012.

A microprodução sofre, assim, uma redução na ordem dos 54euros/MWh para o primeiro período de oito anos, e de 35 MWh para o segundo período. Na miniprodução, o valor da redução anual da tarifa foi fixada em 14 por cento. Ao mesmo tempo, a DGEG estabeleceu que as quotas anuais de potência para a microprodução são de 10 MW (o equivalente a menos de 3000 instalações a nivel nacional), e de 30 MW para a miniprodução, já a partir de 2012.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Consumo de água na Junta de Freguesia de Queluz

No âmbito do Protocolo de Colaboração entre a Junta de Freguesia de Queluz e a AMES, e de acordo com o Plano de Actividades estabelecido, a AMES procedeu à análise do consumo de água no edifício-sede da Junta de Freguesia de Queluz, na sequência da implementação de economizadores de água nas torneiras do edifício.

Projecto Poupança de Água
Os economizadores de Água e Energia são peças complementares de torneiras, que ao serem substituídas pelo tradicional filtro de rede, reduzem o fluxo em aproximadamente 50%. A economia de energia é referente à fonte de aquecimento da água utilizada, que pode ser gás, gasóleo, electricidade, etc.

Neste contexto, a Junta de Freguesia de Queluz procedeu à instalação de economizadores nas torneiras do seu edifício-sede em Abril de 2011, após estudo e recomendação da AMES.

Resultados
Através das facturas de consumo de água no edifício-sede da Junta de Freguesia de Queluz obtiveram-se aos resultados esquematizados na Tabela 1, o que permite uma comparação entre os valores consumidos nos seis meses anteriores e posteriores à implementação de economizadores de água nas torneiras do edifício.


Esta tabela traduz-se nos seguintes gráficos:
Análise dos Resultados
Os economizadores de água nas torneiras do edifício-sede da Junta de Freguesia de Queluz foram instalados em Abril de 2011. Pela Análise da tabela e dos gráficos, é possível verificar as diferenças entre os seis meses anteriores e os seis meses posteriores a essa implementação: o consumo total desceu de 66,60 m3 para 57 m3 e a média mensal de 11,10 m3 para 9,50 m3. O facto de o último mês (Set/Out 2011) ter uma leitura nula de m3 consumidos, poderá referir-se a um acerto em relação às leituras anteriores mais elevadas relativamente a 2010.

Em Janeiro/Fevereiro de 2011 verificou-se o aumento do custo unitário da água de cerca de 85% (de 0,5362 € para 0,9919 €); este aumento deve-se à deliberação por parte da Autarquia de Sintra de que a Juntas de Freguesia passariam a ser abrangidas pela tarifa atribuída às autarquias. No entanto, o aumento nos gastos em água para a Junta de Freguesia foi de apenas 26%: no custo total, de 150 € para 188,77 €; da média mensal de 25 € para 31,46 €.

Conclusões

A poupança de água está relacionada com o consumo mensal e com o consumo (litros por minuto) de cada torneira. Através da análise dos resultados, é possível verificar que o consumo médio mensal diminuiu 14,4% (de 11,10 para 9,5 m3).

Assim, podemos extrapolar que a implementação dos economizadores permitiu poupar a diferença entre o aumento do custo unitário da água em 85% e o aumento do custo para a Junta de Freguesia de Queluz de 26% (59 pontos percentuais, ou seja, 30,6%) 

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Notícias soltas #13

- Desenvolvida tinta que gera electricidade a partir da luz solar A inovadora tinta, que é composta por nanopartículas de dióxido de titânio revestidas por selenioreto ou sulfureto de cádmio suspensas numa solução de água e álcool, gera energia eléctrica ao ser espalhada sobre um material condutor transparente exposto à luz do sol, e pretende ser uma alternativa às convencionais células solares de silicone.

- Economia verde: não basta querer, é preciso saber São vários os estudos que demonstram o número de postos de trabalho que as economias verdes podem gerar, em cada país. No entanto, será que estas novas vagas laborais poderão ser ocupadas por quem perdeu o emprego na indústria convencional? Um relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), publicado em Novembro, acredita que esta relação não é linear.

- Google investe de 94 milhões na energia solar A Google anunciou que investiu 94 milhões de dólares (71,8 milhões de euros) em quatro projectos de energia solar fotovoltaica em Sacramento, na Califórnia. O seu pacote de investimentos em energias “limpas” ascende agora aos 915 milhões de dólares (698 milhões de euros).

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Boas Festas 2011



Pinheiros em vasos, bacalhau, prendas sem demasiados embrulhos ou produzidas em Portugal e azevinho artificial para poupar o verdadeiro, que está em vias de extinção, fazem parte das 22 sugestões da Quercus para um Natal mais “verde” e económico.

Para um “Natal ambientalmente mais responsável e também económico, um factor fundamental na época de crise que vivemos”, a associação ambientalista sugere uma poupança de energia ao desligar a iluminação da árvore ou da varanda durante a noite ou quando não está ninguém em casa e a preferência por lâmpadas LED, mais eficientes.

A aplicação de alguns destes conselhos, relacionados maioritariamente com práticas de consumo sustentável, permitirá constatar que cuidar do ambiente é, muitas vezes, sinónimo de poupar no orçamento familiar”, escreve a Quercus, em comunicado nas vésperas de Natal.

Não compre azevinho [Ilex aquifolium] verdadeiro, "pois é uma espécie em vias de extinção". Esta espécie – que ocorre espontaneamente em bosques, sebes e regiões montanhosas de Trás-os-Montes, Minho, Beiras e serras de Sintra e Monchique – está protegida pelo Decreto-Lei 423/89, de 4 de Dezembro.

Fonte: Ecosfera

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Entrevistas


"Está mais que demonstrado que a eficiência energética tem grande viabilidade económica em termos de investimentos e deve portanto continuar a ser uma aposta prioritária." - Eduardo Maldonado n'O Instalador.

Mais aqui.



"Pela primeira vez todos os países admitem que a resposta internacional a ameaça das alterações climáticas deverá passar por um quadro jurídico vinculativo para todos os países, a concluir até 2015 e a produzir efeitos a partir de 2020." - Nuno Lacasta, Coordenador da Comissão interministerial para as Alterações Climáticas.



Mais aqui.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Subida da electricidade

A despesa média com a electricidade vai aumentar, em média, mais 1,75 euros por mês numa factura que ronda os 50 euros, por causa do aumento em 4% da tarifa da electricidade em 2012, confirmou a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Para os 666 mil clientes que são abrangidos pela chamada tarifa social, o aumento médio mensal é de 57 cêntimos numa factura de 25,5 euros por mês. Neste caso, o aumento é de 2,3%, segundo as contas da ERSE, que apresentou a versão definitiva da proposta remetida ao Conselho Tarifário.

A nova subida entra em vigor a 1 de Janeiro e acontece apenas três meses depois do aumento do IVA de 6% para 23% na electricidade.

Fonte: Público

Material inspirado no revestimento dos invertebrados é potencial substituto do plástico

Cientistas americanos, publicaram recentemente online na revista Advanced Materials, um artigo que dá a conhecer um inovador material com grandes potencialidades como substituto do plástico.


O "Shrilk" é um material inspirado pela cutícula que reveste o corpo dos artrópodes, como é o caso das aranhas, dos crustáceos e dos insetos, que é extremamente versátil porque pode ser rígido como é o caso da “carapaça” dos coleópteros, mas também elástico o suficiente para permitir a mobilidade necessária para que as articulações dos artrópodes cumpram a sua função.


Denominado "Shrilk" por ser constituído por proteínas da seda (Silk em inglês) e da quitina do revestimento dos insectos, é um material laminar que é forte, e pode ser, consoante se queira, rígido ou maleável.

Fonte: Naturlink

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Etiquetas energéticas mais exigentes

A partir de 1 de Dezembro, as etiquetas energéticas que indicam a eficiência de frigoríficos, televisores e máquinas de lavar louça e roupa passam a ser mais exigentes, no âmbito de uma directiva de 2010 sobre rotulagem energética.


Assim, as classes energéticas dos aparelhos domésticos que consomem energia foram reformuladas e passam a ser apenas de A (o menos eficiente) a A+++ (o mais eficiente). No último ano, a utilização da nova etiqueta teve um carácter voluntário e as classes variavam entre o A (a melhor) e o G (a menos eficiente).


Além dos frigoríficos e máquinas de lavar louça e roupa, também os televisores e os aparelhos para armazenagem de vinho passam a ter o rótulo. “O mundo está a mudar e as etiquetas têm de se actualizar. Dantes, o electrodoméstico que mais consumia energia era o frigorífico, mas agora os equipamentos de entretenimento têm um peso tão grande quanto esse”.

Fonte: Ecosfera

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

ADENE e AMES promovem eficiência energética em Sintra

A ADENE - Agência para a Energia e a AMES - Agência Municipal de Energia de Sintra assinaram, no passado dia 5 de Dezembro, um protocolo para promover a eficiência energética no concelho de Sintra. No âmbito desta iniciativa, será oferecido um conjunto de lâmpadas fluorescentes compactas e brochura informativa sobre iluminação eficiente em casa aos munícipes que apresentem o respectivo certificado energético válido para a fracção onde residam, nos diversos pontos disponibilizados no Concelho de Sintra.

Para obter a informação de qual o local de entrega mais próximo da área de residência basta ligar para a linha de apoio Eco Conselho. Esta iniciativa realiza-se com o apoio da Câmara Municipal de Sintra e das Juntas de Freguesia de Queluz, Mira Sintra, Monte Abraão, Rio de Mouro, São Martinho e Massamá, e será desenvolvida no âmbito das iniciativas previstas no Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética (PNAEE).




O objectivo do acordo é a dinamização da Campanha “ A luz certa em sua casa": o Certificado Energético vale um conjunto de iluminação eficiente, que inclui lâmpadas economizadoras. O protocolo engloba um conjunto alargado de programas e medidas, reconhecendo entre outras prioridades, a necessidade de melhorar comportamentos sociais associados ao consumo energético, através de políticas e acções que incentivem os cidadãos às melhores práticas energéticas e ambientais, nomeadamente através do reforço da informação, divulgação de boas práticas em matéria de utilização de energia e à educação nestes domínios.


Através dos certificados emitidos até ao momento (cerca de 500 mil), verifica-se que quase dois terços das habitações portuguesas apresentam um enorme potencial de reabilitação urbana, especialmente as construídas nas décadas de 70 e 80, podendo melhorar a sua eficiência energética de 25% a 50%.
No Concelho de Sintra já foram emitidos 15.400 certificados, sendo a classe predominante a C (onde a letra G representa o pior desempenho e a A+ o melhor:








segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Microgeração no Cemintério de Queluz - 1º semestre de 2011

No âmbito do Plano de Actividades para 2011/2012 estabelecido no Protocolo de Colaboração entre a AMES e a Junta de Freguesia de Queluz, a primeira elaborou um relatório de análise ao comportamento da unidade de microgeração instalada no terreno adjacente ao Cemitério de Queluz. Este relatório teve como objectivo a comparação dos resultados do 1º semestre de 2011 com os do 1º semestre de 2010, sendo que a implementação desta unidade no Cemitério de Queluz se deu em 2009 com o Programa Renováveis na Hora.




Resultados
Através das facturas de compra e venda de electricidade da EDP disponibilizadas pela Junta de Freguesia, podemos analisar a produção mensal da unidade de microgeração presente no Cemitério de Queluz, assim como o consumo de energia eléctrica no mesmo local, e o crédito associado, ou seja, a diferença entre os dois. Estes dados são resumidos na Tabela 1:





Tabela 1: Consumo e Microprodução no Cemitério de Queluz.





Esta tabela corresponde aos gráficos seguintes:









Gráfico 1: Variação mensal da microprodução e do consumo de energia eléctrica nas instalações do Cemitério de Queluz no 1º semestre de 2011, em kWh.




Gráfico 2: Variação mensal da microgeração e do consumo de energia eléctrica nas instalações do Cemitério de Queluz no 1º semestre de 2011, em euros.





Gráfico 3: Variação mensal do crédito associado à diferença entre consumo e produção durante o 1º semestre de 2011, em euros.





Análise de resultados
Através da análise da Tabela 1 e dos gráficos podemos verificar que:



- A produção da unidade de microgeração do Cemitério de Queluz durante o 1º semestre de 2011 foi de 2515 kWh;



- A microprodução atingiu o seu máximo no período de Maio/Junho, com 556 KWh, o mínimo em Dezembro/Janeiro, com 169 kWh e o valor médio foi de 419 kWh;



- O rendimento financeiro da unidade de microgeração no 1º semestre de 2011 foi de 1550 €, aproximadamente, atingindo o máximo e o mínimo nos mesmos períodos do ponto anterior, com 343,33 e 104,36 €, respectivamente;



- O lucro mensal (diferença entre consumo e produção) excedeu sempre o gasto mensal em consumo energético das instalações do Cemitério, com os valores médios de 171,16 € e 86,88 € respectivamente;



Conclusões
O rendimento financeiro da unidade de microgeração no 1º semestre de 2011 foi de aproximadamente 1550 €, o que permite extrapolar para um valor anual, ou seja, cerca de 3100 €. Este valor estimado é exactamente igual ao valor real obtido em 2010, o que aponta para uma normalidade no comportamento da unidade de microgeração durante o 1º semestre de 2011.

O facto de o crédito associado à diferença entre consumo e produção durante o 1º semestre de 2011 ter sido sempre positivo permitiu à Junta de Freguesia anular as despesas com o consumo de energia eléctrica nas instalações do Cemitério.

O valor máximo de produção em Maio/Junho (556 kWh e 343,33 €) coincidiu com o lucro mensal máximo (301,62 €), uma vez que foi nesse período que se registou o consumo de energia eléctrica mais reduzido (202 kWh e 41,71 €) nas instalações do Cemitério.

Durante o período de Fevereiro/Março observou-se um consumo exageradamente alto (1224 kWh), cerca de 3 vezes superior à média dos meses restantes (394 kWh), aumentando a média para 532 kWh.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Comissão Europeia quer combustíveis mais limpos nos transportes

Nesta sexta-feira estará em discussão uma proposta de Bruxelas no âmbito da Directiva sobre Qualidade dos Combustíveis, de 2009, peça crucial para que a União Europeia consiga reduzir as suas emissões de gases com efeito de estufa.

A directiva “impõe às empresas que introduzem combustíveis no mercado a obrigação de reduzir em 6% a pegada carbónica dos produtos que comercializam entre 2010 e 2020”, diz a Quercus em comunicado. O sector dos transportes terá de reduzir as suas emissões em 60% até 2050.

Estudos recentes demonstram que o "processo de produção de gasolina a partir de areias betuminosas emite mais 18 a 49% de emissões de gases com efeito de estufa do que a produção de gasolina convencional na União Europeia”, diz a Quercus.

Fonte: Ecosfera

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

HOME de Yann Arthus-Bertrand

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Turismo mais eficiente energeticamente

O Turismo de Portugal elaborou um estudo que determinou que 63% dos empreendimentos turísticos estão sensibilizados para a implementação de boas práticas na área da energia.

A climatização com intensidade regulável pelo cliente e ar condicionado eficiente são acções já adoptadas por mais de 94% dos hotéis de 5 e 4 estrelas e por 86% dos hotéis de 5 estrelas. Já o aproveitamento de energia solar para aquecimento de água tem a sua maior expressão nos hotéis de 3 estrelas (33% destas unidades).


sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Dia da Floresta Autóctone

O passado dia 23 de Novembro foi estabelecido como Dia da Floresta Autóctone para promover a importância da conservação das florestas naturais, apresentando-se simultaneamente como o dia mais adaptado às condições climatéricas de Portugal e Espanha para se proceder à sementeira ou plantação de árvores, alternativo ao Dia Mundial da Floresta, 21 de Março, que foi criado inicialmente para os países do Norte da Europa.

A plantação de árvores no da Primavera em Portugal apresenta frequentemente um baixo sucesso associado ao aumento das temperaturas e redução das chuvas que se faz sentir com a proximidade do Verão.

As florestas autóctones portuguesas são áreas de árvores de origem portuguesa, ou seja, mais adaptadas às condições de solo e clima do território, mais resistentes a pragas, doenças e a períodos longos de seca e de chuvas intensas, em comparação com as espécies introduzidas. Estas, como são originárias de outro país, são menos resistentes às mesmas condições.

Cerca de 38% do território continental português é constituído por área florestal, representando uma mais-valia efectiva na conservação da Natureza e da biodiversidade, na produção de oxigénio, na fixação de gases com efeito de estufa (dióxido de carbono), protecção do solo e manutenção do regime hídrico.

Fonte: Naturlink

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Semana Europeia de Prevenção de Resíduos

No passado dia 19 de Novembro teve início a Semana Europeia da Prevenção de Resíduos (EWWR). Até ao dia 27 são realizadas diversas actividades sobre resíduos em Portugal e noutros países europeus com o objetivo de sensibilizar a população sobre esta temática.

A Semana Europeia da Prevenção de Resíduos (EWWR) foi celebrada pela primeira vez em 2009, integrada um projecto de três anos que conta com o apoio do programa LIFE+ da Comissão Europeia.

Desde essa altura que se assiste a um aumento das acções realizadas: este ano estão contabilizadas cerca de 300 em Portugal e 7035 distribuídas pelo território europeu, actividades disponíveis para consulta no portal
www.eunaofacolixo.com. A nível nacional a Agência Portuguesa do Ambiente é a entidade organizadora em parceria com a Lipor.


Fonte: Naturlink

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Liga-te à corrente

As questões sobre a energia e o ambiente são cada vez mais uma realidade de entre os assuntos no contexto escolar dos primeiros anos de aprendizagem. Assim nasceu o VEME - Veículo Educativo de Mobilidade Elétrica, com a noção de que educarmos cidadãos mais conscientes da realidade nestas áreas poderá contribuir para que no futuro todos os desafios se possam tornar em grandes oportunidades.

Clicar em cima.

O local a intervir é, por excelência, a escola, uma vez que é um lugar privilegiado de aquisição de valores e promoção de atitudes e comportamentos. Indo ao encontro dos objetivos da sua existência, a AMES desenvolveu o conceito do VEME, um projeto pioneiro em Portugal. Neste contexto, esperamos cooperar com este projecto para a sensibilização mais eficaz da população escolar, incutindo uma perspectiva de desenvolvimento sustentável.

Assim, as atividades dinamizadas neste veículo e realizadas pela AMES estão agora disponíveis para toda a comunidade educativa e iniciativas cujo âmbito se identifique com os objetivos da sua existência, bastando clicar em cima da imagem para aceder ao seu conteúdo, assim como no site da AMES (imagem do João e da Joana).

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Apoios à eólica e solar já sofreram cortes na Europa

Alemanha, Dinamarca, Itália e Espanha são alguns dos países que já sofreram cortes na subsidiação das energias renováveis, face à necessidade de restringir custos que acabam por se repercutir nas tarifas pagas pelos consumidores.

Na Alemanha os cortes começaram a fazer-se sentir ainda em 2009 no sector do solar, tendo sido já anunciado que as tarifas negociadas para a indústria solar para 2012 poderiam ser suspensas.

A Dinamarca também iniciou o processo de phase out em 2009 na energia eólica, com o propósito de favorecer outras fontes de energia, como a solar, hidrogénio ou biomassa.

Em Itália, os subsídios para a energia solar projectada para o período de 2011 a 2013 deverão permanecer em vigor apenas para os sistemas instalados antes de 1 de junho de 2011. Na eólica, os cortes são da ordem dos 22 por cento, e têm efeito retroactivo, ou seja, aplicam-se a sistemas que também estão em operação.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Energia eólica será tão barata quanto o gás natural em 2016

Um relatório da Bloomberg New Energy Finance revela que o preço da eletricidade gerada a partir da energia eólica vai descer 12% nos próximos 5 anos como consequência de uma combinação de equipamentos mais baratos e ganhos na eficiência do que diz respeito à produção, o que fará com que a média dos Parques Eólicos compita ao mesmo nível com a produção das centrais a carvão, gás natural e nucleares.

Isto será possível graças à combinação de dois factores: a “experience-curve” de 7%, que consiste numa redução de 7% do custo da produção de energia a cada duplicação da potência instalada, e a melhoria da eficiência na produção de energia eléctrica, associada ao aumento do “capacity factor”, possível devido aos avanços tecnológicos que têm permitido construir turbinas maiores e mais altas, com uma melhor aerodinâmica, etc.

O preço da energia elétrica produzida a partir da energia eólica tem vindo a diminuir passando de 200 euros por MWh em 1984 para 52 euros por MWh em 2011. Por outro lado, a diminuição dos custos das turbinas devido à competição no mercado e à redução das despesas de manutenção fará com que o preço das turbinas, e consequentemente, o preço da energia que produzem, se torne ainda mais baixo.

Fonte: Naturlink

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Australiano inventa equipamento que colhe água do ar

Um aluno da Universidade de Tecnologia de Swinburne é o jovem inventor responsável pelo desenvolvimento de uma técnica de arrefecimento antiga num novo conceito de irrigação a que chamou Airdrop.

Este sistema utiliza um simples processo de condensação para colher água do ar, sendo este recolhido através de uma turbina e canalizado para o solo através de uma rede de tubos onde é arrefecido à temperatura do solo. A água condensada é armazenada num tanque subterrâneo, pronta a ser bombeada através de uma mangueira de irrigação gota-a-gota subterrânea. Este aparelho está também equipado com um ecrã LCD para controlo dos níveis de água, pressão, carga da bateria solar e integridade do sistema.

O inventor está confiante que pode ser aplicado com sucesso em culturas agrícolas maiores. “Esta solução low-tech é perfeita para agricultores rurais. É algo que pode ser instalado e algo que podem manter… tirando água do ar para irrigar as suas culturas.”


Fonte: Naturlink

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Holanda aposta no gás renovável

A dinamização do mercado de “green gas” – gás de fonte renovável – na Holanda foi dada como exemplo no decorrer do último painel do Fórum Internacional da Energia, que decorreu quarta-feira integrado na Expo Energia 2011. Actualmente, cerca de 50% do consumo energético primário holandês é assegurado por gás natural. Daí que o país esteja a apostar neste segmento para alcançar as metas europeias de integração renovável de 20 por cento, através do investimento em biogás.

«Outros países estão a usar o standard estabelecido [na Holanda]», lembrou o especialista. Segundo os dados apresentados na conferência, relativos a 2009, a produção de biogás na Europa aumentou 4,3%.

Fonte: AmbienteOnline

Gás Natural

O gás natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves que, à pressão atmosférica e à temperatura ambiente, surge no estado gasoso. Este gás é inodoro e incolor, não é tóxico e é mais leve que o ar. As reservas deste combustível são grandes e a sua utilidade é vasta. A origem do gás natural é fóssil, resultando da decomposição da matéria orgânica fóssil no interior da Terra, podendo ser encontrado em rochas porosas no subsolo.


O gás natural é uma fonte de energia que apresenta várias vantagens. Por um lado, tem um impacte ambiental baixo, uma vez que a sua queima produz uma combustão limpa. O seu uso é, ainda, um factor de diminuição da desflorestação. Uma vez que circula e é distribuído por gasoduto, o gás natural diminui a dificuldade de transporte e de manuseamento, bem como o tráfego de pesados, eliminando, ainda, os riscos de armazenamento associados a outros combustíveis.

A questão da segurança é, igualmente, importante. Por ser mais leve que o ar, em caso de fuga, dissipa-se rapidamente. Esta é uma diferença determinante em relação ao gás de cozinha, que, sendo mais pesado que o ar, tem tendência a concentrar-se no local da fuga, aumentando o risco de incêndio e explosão.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Notícias soltas #12

Em 2010 o mundo emitiu mais 512 milhões de toneladas de carbono para o ar do que em 2009, um aumento de seis por cento.


“É um grande salto”, disse por sua vez Tom Boden, director do Centro de Análise e Informação do Dióxido de carbono que faz parte do departamento de energia, do Laboratório Nacional de Oak Ridge. “Do ponto de vista das emissões, a crise financeira mundial parece ter terminado.”




Pelo menos 80% das receitas das licenças de dióxido de carbono (CO2) do sector eléctrico serão usadas para compensar os sobrecustos da produção de energia renovável, garante o Ministério da Economia.


O ministério diz que o Governo se encontra “em linha” com o princípio da Directiva 2009/29/CE que obriga a aplicar, pelo menos, metade das receitas geradas pelos leilões de licenças de CO2 a um conjunto de finalidades, entre elas o desenvolvimento de energias renováveis.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

PVOAU no Bom Dia Portugal

Na sequência do arranque da acção de sensibilização junto dos restaurantes de Sintra para a correcta separação e valorização do óleo alimentar usado, poderá ver aqui a reportagem realizada pela RTP e transmitida no programa "Bom Dia Portugal" no passado dia 1.

Esta acção teve lugar no restaurante Taverna dos Trovadores, em São Pedro, e contou com a presença do Presidente da Câmara de Sintra, para além dos parceiros do Projecto, nomeadamente, AMES, Biological, Biomove, HPEM e Quercus.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Novo aerogerador silencioso

A Renewable Energy Solutions Austrália (RESA) apresentou recentemente um design inovador de aerogerador que está a entusiasmar como consequência do seu design que lhe permite funcionar sem, praticamente, gerar ruído, o que o torna uma alternativa aliciante às tradicionais e ruidosas turbinas pequenas de 3 pás.

A turbina eólica Eco Whisper tem 21,1 m de altura e é constituída por uma hélice de 6,5 m de diâmetro composta por 30 pás de alumínio irradiam para um anel exterior, design que evita o “spilling” do ar nas pontas das pás, causador de ruído.
A hélice está acoplada a um eixo de aço articulado, que lhe permite movimentar-se acompanhando as mudanças de direção dos ventos de forma a aproveitar sempre as correntes de maior intensidade, não necessitando de cauda por incorporar tecnologia “Slew drive”.

Produzindo 20 kW de electricidade este aerogerador foi pensado para satisfazer necessidades energéticas médio-elevadas de aeroportos, superfícies de escritório ou comerciais e universidades, gerando 30% mais energia do que as turbinas tradicionais num total de até 45 000 kWh anuais, em condições óptimas. A turbina caracteriza-se ainda por ser bastante óbvia visualmente, o que reduz o risco de colisão por parte de aves.

Fonte: Naturlink

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Projecto da maior piscina do mundo vence concurso de construção sustentável

A empresa alemã realities:united foi a grande vencedora da 3ª edição dos International Holcim Awards, concurso que distingue os mais inovadores projetos de construção sustentável. Flussbad, que envolve a transformação de parte do rio Spree no centro de Berlim numa piscina de 745 m de comprimento cuja água seria filtrada naturalmente pelo caniçal associado, é a grande vencedora da 3ª edição dos Holcim International Awards.

A firma liderada pelo arquiteto Tim Edler apresentou uma proposta de criação da maior piscina do mundo no centro de Berlim através da transformação de um troço não utilizado do rio Spree, no centro histórico da cidade, numa mega-piscina de 745 m de comprimento. A Flussbad, é, segundo os seus projetistas “muito simples e cost-efficient”, pois utiliza um sistema natural de filtragem da água que é o próprio caniçal associado, com 1,8 ha de área, e um dique para evitar que a água não purificada na parte mais baixa do rio entre na piscina.

O projecto prevê ainda a criação de uma envolvente de jardins e infraestruturas utilitárias como balneários, casas de banho e zonas de cacifos, ocupando no total 3,9 ha. A Flussbad foi idealizada com o objetivo de revitalizar o centro histórico de Berlim através da disponibilização de uma nova forma de usufruir da parte antiga da cidade.


Fonte: Naturlink

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

VEME - Veículo Educativo de Mobilidade Elétrica

No próximo dia 28 de Outubro será apresentado publicamente às 11H00, pela Agência Municipal de Energia de Sintra e com o apoio da Câmara Municipal de Sintra, o projecto Veículo Educativo de Mobilidade Elétrica (VEME).



O VEME é um veículo 100% elétrico e não poluente que se pretende que, de forma organizada e com um formato inovador seja uma oportunidade propícia à aquisição e exploração de conhecimentos e informação acerca das temáticas da Energia e do Ambiente.



As questões sobre a energia e o ambiente são cada vez mais uma realidade de entre os assuntos no contexto escolar dos primeiros anos de aprendizagem. Temos noção de que ao educarmos cidadãos mais conscientes da realidade nestas áreas poderá contribuir para que no futuro todos os desafios se possam tornar em grandes oportunidades.



O local a intervir é, por excelência, a escola. A escola é um lugar privilegiado de aquisição de valores e promoção de atitudes e comportamentos. Indo ao encontro dos objetivos da sua existência, a AMES desenvolveu o conceito do VEME, um projeto pioneiro em Portugal. Neste contexto, esperamos cooperar com este projecto para a sensibilização mais eficaz da população escolar, incutindo uma perspectiva de desenvolvimento sustentável. As atividades dinamizadas neste veículo serão realizadas pela AMES e ficarão disponíveis a partir do mês de novembro para toda a comunidade educativa e iniciativas cujo âmbito se identifique com os objetivos da sua existência.



Este projeto teve o patrocínio das seguintes empresas e entidades: ADENE – Agência para a Energia, Galp Energia, Delta Cafés, SMAS Sintra, Apametal, Ecoambiente e ASUS Portugal. Sublinha-se o apoio institucional manifestado pelo Ministério da Economia e do Emprego, nomeadamente a Secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação e a Secretaria de Estado da Energia, assim como o pelo Programa português de mobilidade elétrica MOBI.E e a Câmara Municipal de Sintra.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Sintra alarga campanha de recolha de Óleos Alimentares Usados

O Município de Sintra vai alargar a rede de recolha de Óleos Alimentares Usados (OAU) aos restaurantes do Concelho. A Campanha arranca já amanhã, terça-feira dia 25 de Outubro, pelas 10 horas, com uma acção de apresentação e sensibilização no restaurante "Taverna dos Trovadores", que contará com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Sintra Prof. Fernando Seara, para além da HPEM (Higiene Pública – EM) e da AMES.

O Concelho de Sintra tem a decorrer desde 2003 o PVOAU – Plano de Valorização de Óleos Alimentares Usados, que assegura a recolha deste resíduo e promove o seu encaminhamento para produção de biodiesel. Este combustível é posteriormente consumido na frota de veículos do município, assegurado por um posto de abastecimento próprio (primeiro a nível nacional para biocombustíveis).

Este projecto é desenvolvido por um consórcio constituído pela AMES, pela HPEM, pelos SMAS, e pela Divisão de Educação da Câmara Municipal de Sintra, contando agora com o apoio da Quercus.

Sensibilização nos restaurantes de Sintra


Esta campanha irá focar os malefícios do encaminhamento incorrecto dos OAU, quando despejados no lava-loiça ou sanita, como entupimentos ou a proliferação de pragas. Serão destacadas ainda as vantagens da recolha e encaminhamento para uma solução ambientalmente adequada, bem como a resposta do PVOAU aos três pilares de produção: doméstico, grandes produtores e canal da restauração.

A extensão ao canal Horeca (Hotéis, Restaurantes e Cafés) contará com uma componente de sensibilização ambiental, campanha que será assegurada pela Quercus, através de visitas aos cerca de 1200 restaurantes das 20 freguesias do Concelho.

A separação e recolha selectiva dos OAU tem diversas vantagens ambientais, económicas e sociais, reduzindo a sobrecarga nos processos de tratamento e saneamento municipal e nas ETAR (estações de tratamento de águas residuais), que provoca o aumento das tarifas de saneamento.

Por ser um resíduo reciclável, o óleo alimentar usado poderá ser utilizado como matéria-prima no fabrico de Biodiesel (combustível alternativo ao gasóleo), e é um importante contributo para a promoção da utilização de energia proveniente de fontes renováveis, assim como o aproveitamento dos recursos energéticos endógenos, com o objectivo de reduzir a dependência da importação de petróleo.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Apresentada a primeira floresta vertical

Foi recentemente apresentado um inovador conceito de arquitectura urbana que envolve a construção de edifícios com a incorporação de numerosos elementos vegetais como os que se encontram nas florestas.

O projecto "Bosco Verticale", que será implementado em Milão, envolve a construção de dois edifícios de habitação que incorporarão 900 árvores e incontáveis arbustos. Trata-se de um conceito da firma de arquitetura Italiana Stefano Boeri Architetti e constituirá a primeira etapa da criação de um cordão verde em redor da cidade italiana.

O conceito é simples e consiste em reflorestar e naturalizar os centros urbanos através da recriação, num edifício, de uma floresta vertical que funcione como “um dispositivo para a sobrevivência ambiental das cidades europeias contemporâneas”, explica Stefano Boeri.

Com um orçamento de 65 milhões de euros, o "Bosco Verticale" integrará um sistema de reciclagem de água para irrigar as plantas e células fotovoltaicas que produzirão pelo menos parte da energia consumida na manutenção dos edifícios.

Fonte: Naturlink

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Universidade de Évora criou controlador de água para regar sem desperdício

A Ecorega, uma tecnologia desenvolvida pelo Departamento de Engenharia Rural da Universidade de Évora tem por objectivo a rega sem esbanjamento, ou seja, utilizando a quantidade exacta de água que as plantações precisam. O sector agrícola, as câmaras municipais e os campos de golfe estão entre os potenciais interessados.


A equipa liderada pelo professor Shakib Shahidian, 46 anos, construiu um controlador que visa substituir o programador tradicional dos sistemas de rega e que, tal e qual um pequeno computador, ajusta a quantidade de água com base na temperatura, época do ano, radiação solar, características do local e tipo de flora.


Do campo para o jardim

Shakib Shahidian está a trabalhar no controlador da rega desde 1995. Numa primeira fase, esta invenção tinha como fim a poupança no sector da agricultura. O projecto foi-se desenvolvendo e evoluiu também para os relvados, dando resposta às autarquias, mas tendo em conta que estão previstos para a região muitos projectos de interesse nacional (PIN) que contemplam campos de golfe, para os quais a relva é imprescindível, sendo que esta tecnologia é ideal para estas infraestruturas, sendo igualmente útil para as câmaras municipais.


O mesmo responsável sublinha que este controlador custa menos que um controlador de rega normal. "O nosso equipamento fica por cento e poucos euros e somos nós que o instalamos, damos apoio técnico, garantimos o seu funcionamento e damos a formação necessária".

Fonte: Ecosfera

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Tarifa da electricidade sobe 4% no próximo ano

Em causa está a proposta de aumento entregue ontem pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) para pedido de parecer ao Conselho Tarifário, que terá uma versão definitiva a 15 de Dezembro. Assim, os consumidores domésticos deverão ter um aumento de 4% na factura, de acordo com as contas do regulador. Calcula-se que as famílias neste momento pagam em média 49,7 euros por mês pelo consumo de electricidade, pelo que irão pagar mais 1,75 euros a partir de 1 de Janeiro. No entanto, já desde o passado dia 1 de Janeiro que o valor a pagar pelo consumo de electricidade subiu praticamente 10 euros por mês. As estimativas que eram avançadas pela ERSE no final do ano passado indicavam que cada família iria pagar em média 42 euros por mês em 2011. A subida do preço mensal deve-se à passagem da taxa do IVA de 6% para 23% na electricidade, que entrou em vigor agora em Outubro.

Fonte: Público

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Lisboa recebe evento mundial sobre Sustentabilidade

O Fórum Mundial Lisboa 21 – Água, Energia e Desenvolvimento Sustentável terá lugar na Sociedade Portuguesa de Geografia entre os dias 24 e 25 de Outubro e consiste numa preparação da cimeira Rio + 20, que decorrerá no Brasil em 2012.
Este evento é organizado por um conjunto de entidades e instituições que incluem a Fundação Gulbenkian, a Universidade Católica Portuguesa, e a Adene-Agência para a Energia, e pretende ser uma preparação para a Cimeira Rio + 20. O evento, aberto à participação de todos, juntará instituições públicas, empresas Universidades, Meios de Comunicação, Fundações, Partidos Políticos, Sindicatos, ONGs e Sociedade Civil num debate “que abordará os temas estratégicos da água e da energia como elementos básicos do desenvolvimento da Humanidade no presente e no futuro”, explica a organização.

Os dois dias de trabalho culminarão na elaboração de um resumo “que será apresentado às Nações Unidas como documento de trabalho para a Cimeira Rio + 20, avança um comunicado. A cimeira do Rio + 20 acontecerá 20 anos após da pioneira Cimeira do Rio, e 10 anos depois da Cimeira para o Desenvolvimento Sustentável em Joanesburgo e através da do Fórum Mundial Lisboa 21 a capital nacional afirma-se como “porta-voz europeu, ibero-americano, africano e para o Oriente (…) relativamente aos avanços verificados sobre a Sustentabilidade, como resposta à crise global e a apresentação de uma melhor proposta de futuro”.

Conheça o programa detalhado do Fórum Mundial Lisboa 21 aqui.


Fonte: Naturlink

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Desertec

Criada há dois anos, a Fundação Desertec fez a Europa olhar com outros olhos os países do Norte de África e Médio Oriente. Isto porque a organização não-governamental vê nesta região a solução para a carência energética da Europa no horizonte de 2050.

A ideia passa por criar uma rede de produção eléctrica a partir de centrais fotovoltaicas e parques eólicos nestes países emergentes, que depois será ligada aos centros de consumo europeus.

Para já, têm sido dados passos firmes em direcção a este objectivo. No mesmo ano em que a Fundação foi criada, doze empresas – tanto europeias como do Norte de África – juntaram-se ao projecto criando a Dii GmbH, uma joint venture de base industrial que visa acelerar a implementação do conceito Desertec. Daí que esta parceria seja a responsável por elaborar um plano técnico detalhado para a implementação desta supergrid.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Casa made in Portugal estreia-se na Solar Decathlon Europe

O objectivo é criar casas mais eficientes, sustentáveis e que tirem partido de todas as tecnologias ligadas ao sector das renováveis. E a competição académica Solar Decathlon é um exemplo disso mesmo. Começou nos Estados Unidos, em 2002, mas a Universidade Politécnica de Madrid conseguiu trazer o concurso para a Europa no ano passado e prepara agora a segunda edição, agendada para 2012.

Esta casa “viva” foi, de resto, o mote para o projecto Casas em Movimento da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), que estava já a ser desenvolvido e coordenado há três anos por Manuel Vieira Lopes. A candidatura enviada e seleccionada pela competição europeia é, no entanto, um pouco diferente, devido a condicionalismos impostos pelo próprio programa. A área disponibilizada para a construção do protótipo, por exemplo, não permitiria que a pala deslizante cumprisse o propósito e, por isso, Portugal optou por ir mostrar uma casa fixa, demonstrando a versatilidade de um modelo em que esses sistemas podem ser adquiridos à posteriori e em função das possibilidades e necessidades de cada um.

Fonte: AmbienteOnline

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Londres terá a maior ponte solar do mundo

A ponte Blackfriars, construída em 1886, será a maior instalação solar na cidade de Londres e a maior ponte solar do mundo. Neste momento estão a ser implementados cerca de 6 mil metros quadrados de painéis solares na ponte, que irão satisfazer metade das necessidades energéticas da estação Blackfriars Bridge.

Em junho de 2011, a Bélgica pôs em marcha os seus primeiros comboios movidos a energia solar. Os comboios que saem da estação central de Amberes rumo ao norte utilizam a eletricidade produzida por 16 000 painéis solares durante cerca de 10 quilómetros do percurso.

A ponte Blackfriars por sua vez, utiliza 4400 painéis solares fotovoltaicos instalados numa cobertura recentemente construída. A instalação solar irá gerar cerca de 900 000 kWh de eletricidade por ano e será acompanhada de outras medidas de poupança de energia.

Fonte: Naturlink

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Projecto europeu aumenta as vendas no mercado de eletrodomésticos mais eficientes

Promover o aumento do consumo de eletrodomésticos e equipamentos domésticos com classes energéticas mais eficientes (A, A+ e A++), de forma a diminuir o consumo energético, foi o objetivo alcançado pelo projeto europeu Promotion 3E - The Promotion of Energy- Efficient Appliances in Europe, que contou com a participação de 12 parceiros de oito países da União Europeia (Portugal, Espanha, Irlanda do Norte, França, Grécia, Itália, Alemanha e Polónia).

Financiado pelo programa europeu Intelligent Energy for Europe (IEE2), o Promotion3E teve a coordenação da Escola Superior de Tecnologia de Setúbal do Instituto Politécnico de Setúbal (ESTSetúbal/IPS) e foi iniciado em Outubro de 2008, em Setúbal, tendo terminado no início de Setembro deste ano. As conclusões do projeto foram divulgadas recentemente durante o seminário internacional de encerramento do projeto, que se realizou na Ilha de Chios, na Grécia.


Fonte: Universia

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Projecto de edifíco sustentável em Aalborg

A cidade de Aalborg, na Dinamarca, será alvo de um novo projeto de edifício de habitação com vista à remodelação da frente marítima, cuja inovação consistirá na integração de sistemas de produção à base de renováveis com capacidade para suprir a totalidade dos seus consumos de energia .

O novo empreendimento, proposto pela C. F. Møller, possui 60 apartamentos entre o 4º e o 12º andar, sendo a sua característica mais distintiva o telhado de uma só água virado a sul que vai do piso térreo até ao último andar – e sobre a superfície do qual estão instalados 1 200 m2 de painéis fotovoltaicos e solares térmicos. Os painéis fotovoltaicos conseguem gerar 104 000 KWh/ano de energia elétrica, um valor suficiente para cobrir a procura anual dos vários apartamentos (cerca de 1 740 KWh).

O edifício conta também com quatro turbinas eólicas de eixo vertical com níveis baixos de ruído que tiram partidos dos ventos fortes de oeste, produzindo um fluxo adicional de energia elétrica que serve para carregar as baterias de veículos elétricos (EVs). Um sistema de recolha de águas pluviais é por seu lado utilizado na irrigação dos jardins envolventes. As janelas altas dos apartamentos permitem finalmente optimizar a iluminação natural das zonas de habitação, dando um exemplo de como as regras de habitação passiva podem ser incorporadas para reduzir os consumos energéticos.

Este projeto de edifício em forma de cunha apresenta uma silhueta peculiar, e foi pensado para a área entre as duas principais pontes de Aalborg. O telhado totalmente plano parece estar a sair da linha de água, formando na sua zona mais baixa um pátio coberto com livre acesso ao público onde pode ser instalada uma esplanada.

Fonte: WikiEnergia

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Seminário "Défice Tarifário e Eficiência Energética"

A AMES organizou, em cooperação com a Câmara Municipal de Sintra (CMS), e no âmbito da 2ª Edição da Feira das Energias, o Seminário “Défice Tarifário e Eficiência Energética”, que decorreu no dia 22 de Setembro, na Vila Alda em Sintra. Dada a actualidade, pertinência e indiscutível interesse do tema em debate, este evento revestiu-se da maior importância para o tecido empresarial e população em geral, tendo contado com a presença Dr. Carlos Albuquerque da CMS, e com a moderação do jornalista da SIC Notícias Dr. José Gomes Ferreira. Os oradores foram:

- Dr. Paulo Trigo Pereira, da Direcção da DECO;
- Dr.ª Ivone Rocha, jurista, José Pedro Aguiar-Branco e Associados, R.L;
- Eng.º. Pedro Cabral, Assessor do Secretário de Estado da Energia;
- Prof. António Sá da Costa, Presidente da Associação Portuguesa de Energias Renováveis;
- Eng.ª Rita Antunes, da Quercus;
- Dr. Alexandre Fernandes, Director-geral da ADENE;
- Dr. Nuno Ribeiro da Silva, Presidente da ENDESA Portugal;
- Eng.º Luís Fernandes, AMES;
- Eng.º Paulo Caetano, Fomentinvest.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Feira das Energias 2011

Decorreu no passado fim-de-semana a 2ª edição da Feira das Energias, que a AMES organizou em parceria com a Câmara Municipal de Sintra.A tenda da AMES.

O forno solar a assar as maçãs oferecidas pela Agrobio.

O fornecedor das maçãs foi o produtor biológico João Pedro Silva.

As bicicletas eléctricas da Ploran fizeram sucesso.


O carro eléctrico da Peugeot e os modelos híbridos da Honda.



Os carrinhos solares foram constantemente utilizados pelos mais pequenos (e não só).



E o João e a Joana, mascotes da AMES, animaram os mais novos.